terça-feira, 26 de outubro de 2010

Sem medo de viver

Muita gente respira fundo e desabafa que é preciso muita coragem para viver. Só falta dizer que precisamos de uma armadura toda de metal, modelito cavaleiro da idade média, ou nos fazer de donzela do tipo “nunca põe o pé fora do castelo”.
Mas não é nada disso, o que continua necessário é coragem, ou seja, coração em ação. Por maior que sejam os desafios, somente usando energia do coração é que você poderá enfrentá-los. E nada de armadura ou ficar dentro de sua redoma. Só vale de peito aberto – se jogando inteiro na empreitada.
A palavra coragem tem a mesma raiz de coração – “cordis”, que era definido antigamente como lugar onde habita a inteligência. Portanto, agir com a cabeça vai fazê-lo fraquejar na primeira dúvida, porque sua vontade não terá raiz. Para evitar essa fraqueza, quando for dormir pergunte-se qual é o caminho do seu coração. Quando acordar faça o mesmo, até aprender a ouvir seu coração, que provavelmente anda falando muito baixo, com medo de ser reprimido.

5 comentários:

  1. Julinho
    parabéns pela bela forma com que você montou o texto,forma clara e didática.
    É uma honra e um orgulho tem você como colega de trabalho.
    grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Lindo texto. Fácil e convincente. Por favor, continue.

    ResponderExcluir
  3. Júlio! Adorei o texto, coincidemente falei sobre este assunto no editorial do meu jornal mês de outubro.
    Beijo!

    ResponderExcluir
  4. OI JULIO! ADOREI! BJINS DE LUZ E PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  5. É verdade. Adorei!

    ResponderExcluir